por um caminho fora


É tão bom ter tempo para andar por aí sem destino ou horas de chegar, percorrer um caminho que não conhecemos à espera que em cada curva sejamos surpreendidos, ou pura e simplesmente parar neste sítio e deixar que esta imagem nos leve a outros sítios e outros tempos.

4 comentários:

  1. Não conhecia pessoalmente o seu Irmão(conheço-o das palavras sobre ele que se moram na blogosfera - que encontro como "em cada esquina um amigo").
    Por isso, a minha homenagem aos dois (a Si e a ele) fica aqui - porque emociona saber que continuam os dois "por um caminho fora".
    Só se morre quando deixamos de viver no coração de alguém e de lhe fazer companhia. Pelo que compreendo, o seu Irmão vive e alegra a vida de muita gente.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. o que se ganha por seguir os carreiros...boas imagens é uma das coisas!
    abraço

    ResponderEliminar
  3. Cravo de Carne, isso que disse foi exactamente o que o meu pai disse... "Só morro quando os meus alunos me esquecerem"... Percebo o sentimento, a emoção mas na realidade não é bem assim, a realidade física é muito dura...

    ResponderEliminar
  4. Sofia: claro que tem razão! Lamento a sua (vossa) perda.
    O que eu quis dizer é que enche o coração saber que alguém que amamos e partiu permanece nas lembranças e afectos de tanta gente.
    A ausência de uma pessoa que amamos é uma dor, uma mágoa (às vezes até uma revolta!) que não tem fim. O tempo distrai (não atenua: distrai), mas a falta, a saudade está sempre connosco. Sei bem. Creia que sei.
    Força! Abraços!

    ResponderEliminar